domingo, 15 de fevereiro de 2009

Concordãncia do verbo Ser

O verbo de ligação [ser] apresenta uma concordância particularíssima, já que, em vez de concordar normalmente com o sujeito, oscila freqüentemente entre o sujeito e o predicativo do sujeito, veja:
- Tua vida são => essas ilusões.
Sujeito verbo predicativo do sujeito
Casos Especiais de Concordância do Verbo Ser

1º Caso: Quando o sujeito for um dos pronomes tudo, o (que), isto, isso ou aquilo, o verbo [ser] concordará com seu predicativo:
- Tudo eram => hipóteses. - Aquilo eram => sintomas graves.
- O que atrapalha bastante são => as discussões.
Mas, atenção: O verbo [ser] fica no singular quando o predicativo é formado de dois núcleos singular: Tudo o mais é => [saudade e silêncio].
Observação: Alguns gramáticos ressaltam que, embora menos comum, a concordância com o sujeito é, também, licita.

2º Caso: Quando o sujeito é nome de coisa, no singular e o predicativo um substantivo no plural, o verbo [ser] concorda, de preferência, com o predicativo:
- A vida (coisa) não são => rosas. - A cama são => umas palhas.
- O seu segredo são essas vaidades.
Mas, atenção: O sujeito ou predicativo sendo nome de pessoa ou pessoa, a concordância se faz com [a pessoa]:
- O homem <= é cinzas. - Paulo <= era só problemas.
- Seu orgulho eram => os velhinhos.

3º Caso: Na indicação de horas, datas e distâncias o verbo [ser] é impessoal (não tem sujeito) e concordará com a expressão designativa da hora, data ou distância, ou seja, com a expressão numérica (predicativo):
- Da estação à fazenda são [três] léguas a cavalo.
- Hoje são [vinte] e um do mês, não é?
- Seriam [seis] e meia da tarde?
- É [uma] hora e meia (hora)
- Hoje são 31 de março. (mas, se aparecer à palavra [dia] antes da expressão numérica, o verbo com ela concorda. Assim diremos: Hoje [é dia] 31 de outubro, porque aí o predicativo é a palavra dia).
Observação: Estando a expressão que designa hora precedida da locução [perto de], hesitam os escritores entre o plural e o singular:
- Eram [perto de] oito horas. —Era [perto de] duas horas.

Como se pergunta às horas? Assim é que se pergunta: Que (= quantas) horas são? (= são quantas horas?) Pois, em tais frases, não há sujeito, e o predicativo é [que] (pronome-adjetivo equivalente a quantas).
E responder-se-á: É uma hora. — São três horas.

4º Caso: Quando acompanhado de muito, pouco, bastante, suficiente etc.; usa-se apenas [é], independentemente do número em que estiver o sujeito:
- Dois dias é pouco tempo para aprender tudo isso.
- Três mil reais é bastante por esta casa.
- Vinte quilos é muito para uma criança carregar.
- Dois metros de tecido é suficiente para fazer o seu terno.

• Há quem ache estranha esse caso concordância do verbo «ser» E acham que deveria ser: Três mil reais são bastante... A concordância no singular, embora estranha, acontece normalmente com as expressões que denotam excesso, suficiência ou insuficiência. É mais um caso de concordância ideológica, o sujeito, embora no plural, guarda a idéia coletiva e o verbo no singular sintoniza com essa idéia.

5º Caso: Quando um dos dois termos (sujeito ou predicativo) for pronome pessoal, a concordância é feita com este pronome:
- O Brasil, senhores, sois vós. (Rui Barbosa)
- Todo eu era olhos e coração. (M. de Assis)
- Vocês são atrevidos.

6º Caso: Quando o predicativo é o pronome demonstrativo [o] ou a palavra cois, o verbo ser concordará com o predicativo:
- Divertimento é coisa que não lhe falta.
- Os bastidores é só o que me toca.
- Mentiras, era o que me pediam. ®Sérgio.
_________________________________________________
Ajudaram na elaboração deste manual:
Rocha Lima, Gramática Normativa da Língua Portuguesa.
Hildebrando A. de André, Gramática Ilustrada.
Francisco Platão Savioli, Gramática em 44 lições.
Se você encontrar erros (inclusive de português), por favor, me informe.
Agradeço a leitura do texto e, antecipadamente, qualquer comentário.
http://recantodasletras.uol.com.br/teorialiteraria/73964

Um comentário: